//
Acepi
//
eBusiness
//
Notícias
Receitas globais de ecommerce podem ultrapassar os três biliões de dólares em 2019
Receitas globais de ecommerce podem ultrapassar os três biliões de dólares em 2019
17 de Junho de 2019
Estima-se que os consumidores gastem mais de três biliões de dólares, ou cerca de 2,68 biliões de euros, em compras online, ao longo do ano. O valor representa 15% das receitas totais na área do retalho em todo o mundo.

As taxas de crescimento do comércio eletrónico começaram a desacelerar em alguns mercados mais saturados, mas o ecommerce a nível internacional continua a avançar, à medida que cada vez mais pessoas acedem à internet e começam a fazer compras a partir dos seus computadores e, principalmente, através dos seus smartphones.

De acordo com a Ecommerce Foundation, que a ACEPI integra, as compras online representaram 7% do total das receitas mundiais no retalho em 2015, valor que deverá aumentar para os 17% em 2021.

A Alemanha surge como um dos mercados mais importantes da Europa. Dados recentes da Ecommerce Foundation indicam que os alemães fazem cada vez mais compras online , estimando-se que as vendas cresçam mais de 9% em 2019, atingindo os 58,5 mil milhões de euros.

O país - que será o convidado da edição deste ano do Portugal Digital Summit  - também regista subidas no número de pessoas que faz compras através da internet, que entre 2017 e 2019 representa 88,62% da população.

O montante gasto por e-shopper deverá crescer de 770 euros para os 909 euros, no período analisado.

O Reino Unido, por sua vez, é destacado pelas previsões de crescimento na área mobile. De acordo com o mais recente Global Payments Report , da Worldpay, o mercado mobile britânico irá mais do que duplicar o seu valor até 2022. Nessa altura deverá representar 314,5 mil milhões de dólares. J

á no mundo inteiro, as vendas mobile estão a crescer a uma média de 16% ao ano, acima das vendas através de computador, com uma subida média de 5%. Nos próximos cinco anos, o valor deverá crescer para uma taxa média de 19%, pondo o mercado a valer 2,29 biliões de dólares em 2022.